CATEGORIAS:

Aumentar vendasGestãoOperaçãoProdutosSem Categoria

Os alimentos congelados são a grande salvação para as pessoas que não têm muito tempo para preparar suas refeições ou para aquelas que moram sozinhas e não conseguem consumir produtos frescos dentro do prazo de validade. Afinal, o processo de congelamento aumenta a durabilidade e permite a otimização de tempo nos preparos.

Contudo, é importante ressaltar que existem precauções importantes a serem tomadas, como a higienização antes de levar os alimentos para o freezer. Afinal, as baixas temperaturas apenas diminuem o ritmo de crescimento dos micro-organismo, e não os elimina por completo. Além disso, o descongelamento também deve ser feito com bastante atenção.

Entre tantos cuidados e benefícios, muitas inverdades foram surgindo acerca do assunto. Por isso, vamos listar as 7 afirmações mais comuns e explicar quais delas são verdadeiras e quais não passam de mito. Confira!

1. Alimentos congelados perdem todos os nutrientes

MITO!

Alimentos frescos e consumidos in natura são os mais nutritivos, pois não sofrem interferência. Eles perdem parte dos seus nutrientes em processos de cozimento e congelamento, mas são quantidades relativamente baixas, principalmente no caso do resfriamento.

Sendo assim, não é preciso se preocupar em não ingerir uma boa quantidade de nutrientes. O importante é ter atenção ao processo utilizado para o congelamento, a fim de garantir a menor interferência possível. Para legumes, por exemplo, é interessante usar a técnica de branqueamento.

2. Nem todo tipo de alimento pode ser congelado

MITO!

Qualquer tipo de alimento pode ser congelado. O problema é que alguns deles apresentam diferenças significativas na textura, cor e sabor após o descongelamento. É o caso dos laticínios em geral. Isso não quer dizer que o alimento estraga, e sim que ele não terá as mesmas características de antes.

No entanto, é possível minimizar esses efeitos em boa parte dos casos. Como já dito, no caso dos vegetais, o branqueamento ajuda bastante. Em outros não há muito o que fazer, a exemplo das verduras de folhas. Então, é mais uma questão de se adaptar, seja para as alterações das propriedades dos alimentos ou para prepará-los e consumi-los in natura.

3. Nunca se deve descongelar um alimento em temperatura ambiente

VERDADE!

Os alimentos que precisam passar pelo processo de descongelamento antes de serem utilizados devem ser mantidos sob refrigeração. Isso porque deixá-los na pia, por exemplo, faz com que eles fiquem expostos à contaminação. Quanto menor for o tempo de exposição e a temperatura, menores serão os riscos de proliferação de micro-organismos.

Portanto, o ideal é se planejar e passar do freezer para a geladeira o que for ser consumido no dia seguinte. Uma estratégia muito eficaz é fazer isso quando for preparar a refeição. Por exemplo, se hoje você for preparar uma carne que já está na geladeira, mas amanhã você fará um peixe, antes de começar a fazer a carne, já retire o peixe do freezer e coloque na geladeira. Assim, amanhã ele já está pronto para ser usado na hora que for preciso.

4. Todo alimento deve ser descongelado antes do uso

MITO!

Existem diversos tipos de alimentos que não precisam ser descongelados antes do preparo. É o caso dos alimentos que serão fritos em imersão, como:

  • salgadinhos de festa;
  • empanados de frango;
  • batata palito;
  • polenta;
  • mandioquita.

Isso também vale para os preparos assados, tais como:

Nesses casos, a umidade gerada no processo de descongelamento prejudica o resultado final do preparo. Para os alimentos industrializados, o ideal é seguir as instruções do fabricante, descritas na embalagem.

5. Um alimento não deve ser congelado depois de ser descongelado

VERDADE!

Uma vez descongelado, o alimento deve ser consumido em sua totalidade e em poucos dias. Isso é muito importante para garantir a segurança alimentar, pois ele já foi exposto a novos micro-organismos, e pode estar contaminado. Como dito anteriormente, o processo de congelamento não mata esses agentes, apenas desacelera seu desenvolvimento.

Uma boa dica para evitar o problema é separar os alimentos em pequenas porções antes de levar ao freezer. Dessa forma, é possível retirar apenas o que for ser utilizado, evitando desperdícios.

Outro ponto importante a ser destacado é que não há problema em descongelar uma carne crua, prepará-la e voltá-la para o freezer. Nessa situação, o que garante a segurança alimentar é o processo de cozimento. Por ter passado por altas temperaturas, o alimento elimina boa parte do agentes contaminantes e pode ser congelado sem maiores problemas.

6. Cada tipo de alimento requer uma temperatura específica

VERDADE!

Cada alimento tem propriedades específicas e, por isso, requer temperaturas diferenciadas para garantir um congelamento seguro e eficaz. Os peixes são os mais exigentes nesse sentido. Quanto menor a temperatura, melhor. Por esse motivo, eles devem ser armazenados na parte alta do freezer, onde é mais frio.

As verduras podem ficar na parte mais baixa e menos fria. As carnes e demais alimentos, podem ficar nas partes intermediárias. Lembrando que é importante deixar um espaço entre eles para que o ar frio circule livremente.

7. Alimentos congelados têm prazo de validade

VERDADE!

Alimentos congelados não duram para todo o sempre. A validade de cada um varia bastante, de acordo com diversos fatores. Alimentos mais gordurosos, como embutidos e carne de porco, têm menor durabilidade. Assim como aqueles que passaram por manipulação, como a legumes descascados e picados.

O mesmo alimento pode ter a validade aumentada ou diminuída de acordo com o processo pelo qual ele passou antes do congelamento. As carnes são bons exemplos para entendermos melhor como isso se dá:

  • carne in natura: até 12 meses

  • carne moída: de 3 a 4 meses

  • carne preparada (cozida, assada etc.): de 8 a 12 meses.

É muito importante registrar o prazo de validade na embalagem utilizada para armazenar cada alimento. Outra dica é organizar o freezer de forma a deixar aqueles que estão mais próximos do vencimento mais acessíveis.

Concluindo, os alimentos congelados oferecem muitos benefícios, mas requerem certos cuidados. Ao adotar o processo em seu estabelecimento, cuide bem da higiene e lembre-se de identificar cada item. No caso dos industrializados, a vantagem é que basta seguir as instruções da embalagem. Cuidando desses pontos, as refeições oferecidas aos clientes serão nutritivas e seguras.

Você já conhecia todos esses mitos e verdades? Deixe seu comentário dizendo como você utiliza os alimentos congelados!

Escreva um comentário

Share This