CATEGORIAS:

Aumentar vendasGestãoOperaçãoProdutosSem Categoria

Definir quais serão os preços praticados pela sua lanchonete não deve ser um exercício de adivinhação. Existe toda uma gama de recursos disponíveis para donos e gerentes que buscam encontrar a precificação de produtos ideal.

Para definir um valor de venda não basta estabelecer um número superior ao que é gasto com a produção. Fatores como despesas com a venda, preço da concorrência, impostos e comissões, entre outros, também devem ser levados em consideração.

Assim, o resultado final estimula a compra e traz lucro para o responsável pelo negócio.

Quer saber como estabelecer o preço ideal de seus produtos? Então continue acompanhando este post e aprenda!

A precificação de produtos é vital para o sucesso do negócio

O Brasil vive um momento de crise, no qual dificuldades financeiras atingem todos os seus cidadãos. Isso inclui seus clientes potenciais. Por isso, é essencial que o preço de venda de seus produtos seja adequado ao orçamento do comprador.

Afinal, não adianta oferecer o melhor alimento se o valor desestimula a compra. Só que também não faz sentido manter o preço baixo, sacrificando seu negócio.

É aqui que entra a precificação. É ela que vai orientar um equilíbrio entre despesa e lucro, possibilitando que você tenha uma base a partir da qual pode definir o preço ideal.

A definição do preço envolve diversos fatores

Se fôssemos simplificar ao extremo o ato de precificação, o resultado seria que o preço ideal é a soma de todos os gastos adicionados da margem de lucro.

Mas há um bom motivo pelo qual simplificações não são uma boa ideia ao lidar com a parte financeira de seu negócio. Elas deixam questões importantes de fora, afetando resultados. Por isso, a determinação do valor deve ser feita de forma cuidadosa, com atenção a vários fatores.

1. Composição do preço

Quando falamos de custo dos produtos, é importante levar em consideração todos os custos e as despesas fixas e variáveis. Devem ser incluídos aqui comissões de vendedores, salários, aluguel, água, luz, telefone, impostos, taxas de cartões e de bancos etc. Isso além dos gastos na compra de ingredientes, produtos e equipamentos.

A partir do momento em que você tem suas finanças organizadas e sabe a realidade financeira do seu estabelecimento, você pode analisar preços potenciais.

2. Análises antes de determinar o preço

Com seus custos em mãos, você deve analisar outros fatores que podem influenciar, mesmo que de forma tangencial, o preço final de seus produtos. Entre eles, estão:

  • o preço praticado pelos seus concorrentes;

  • a qualidade de seus produtos;

  • a imagem que seus clientes têm da sua empresa.

Você ainda deve avaliar qual é o lucro esperado no fim do mês. Afinal, o objetivo de fazer uma precificação de produtos séria não é simplesmente praticar o menor valor de venda possível. Mas encontrar o equilíbrio entre os custos e despesas e o lucro.

3. Estratégias de precificação e como aplicá-las

Após organizar todos os dados anteriores, você deve fazer o cálculo propriamente dito. Há duas principais estratégias de precificação de produtos. Elas são o Mark-up e a Margem de Contribuição (MC).

Mark-up

O mark-up engloba toda a operação. Ele é muito aplicado pela praticidade, uma vez que basta incluir uma porcentagem sobre o custo unitário.

A fórmula usada para chegar a porcentagem do mark-up é:

100 / [100 – (despesas variáveis) + (despesas fixas) + (margem de lucro)]

Por exemplo, se as suas despesas variáveis são 2% de seu faturamento, suas despesas fixas 3% e a margem de lucro é de 50%, a porcentagem do mark-up será 2,22%.

Essa porcentagem será aplicada ao custo unitário do produto, gerando o preço final. Ou seja, se o produto custa R$ 2, o preço final será R$ 4,44 (R$ 2 x 2,22).

O problema dessa fórmula de cálculo é que não é raro esse método criar a ilusão de uma margem de lucro maior do que a realidade. Isso ocorre principalmente quando as despesas variáveis e fixas não são calculadas adequadamente ou no caso de promoções que abaixam o preço sem que os cálculos sejam refeitos.

Margem de Contribuição

Já a Margem de Contribuição permite o cálculo sem a inclusão das despesas fixas, gerando o chamado “lucro gerencial”. Ou seja, essa estratégia não leva em conta as despesas fixas. Ela é o equivalente ao Ganho Bruto sobre as Vendas e aponta o valor que a empresa terá para pagar as despesas fixas adicionado do lucro.

A fórmula usada para a MC é:

Margem de Contribuição = preço de venda – (despesas variáveis + custo variável)

Essa fórmula pode ser aplicada tanto para valores unitários quanto para os totais da empresa. Com ela, é possível verificar qual é o ganho bruto sobre cada um dos produtos e qual é o ganho bruto do negócio como um todo.

Além disso, é possível avaliar, por exemplo, o limite para que uma promoção não gere prejuízo. Afinal, a partir do momento que a MC for negativa, fica claro que o seu negócio está perdendo dinheiro com aquele produto.

Com essa estratégia, o resultado é mais acurado. Mas é importante lembrar que é preciso comparar a MC da transação com as informações financeiras gerais do seu negócio antes que o lucro líquido seja determinado.

4. Erros comuns podem afastar o cliente

Mesmo quem segue os passos corretos da precificação de produtos pode espantar os clientes ao cometer alguns erros comuns. Conheça os principais e evite que seu negócio seja impactado por eles:

  • não acompanhar os custos de forma sistemática;

  • não ficar de olho nos preços praticados pela concorrência;

  • fazer da competição uma guerra de preços permanente;

  • deixar de considerar o valor que o cliente considera justo;

  • não oferecer um mix variado de produtos para o cliente escolher.

Outras estratégias podem deixar o preço mais atrativo

Além de acertar a precificação, há outras formas de deixar o valor cobra por seus produtos mais atrativos e aumentar o rendimento da sua lanchonete. Confira algumas dicas:

  • faça promoções abaixando a margem de lucro de alguns itens;

  • aumente os descontos no final do mês;

  • alie a promoção à compra de determinada quantidade;

  • busque fornecedores com preços e condições melhores.

A precificação de produtos é uma estratégia de criação do preço cobrado que ajuda o dono ou gerente de um negócio a tomar boas decisões gerenciais. Seguindo as fórmulas do mark-up e da Margem de Contribuição, os valores cobrados e o lucro gerado ficam mais claros.

Isso permite que sejam feitas promoções ou reduções de preços com tranquilidade. Afinal, é possível saber, com exatidão, quanto cada produto rende e qual é a situação da empresa. Dessa forma, a cobrança é justa tanto para o cliente quanto para a empresa.

Gostou do artigo? Que tal receber conteúdos como este na sua caixa de entrada? Basta assinar nossa newsletter para ficar por dentro das novidades do blog!

Escreva um comentário