CATEGORIAS:

Aumentar vendasGestãoOperaçãoProdutosSem Categoria

O mercado de alimentos e bebidas é muito dinâmico. Sejam pratos da moda, técnicas revolucionárias que trazem novos sabores e texturas ou mesmo dietas do momento, a verdade é que os clientes estão a todo momento trazendo novas demandas para o empreendedor, que precisa estar antenado com o que acontece no mercado para não ficar para trás.

Uma tendência forte que tem tomado conta do mercado ultimamente e que certamente veio para ficar é a dos alimentos com restrição de ingredientes. Produtos sem lactose, sem glúten ou mesmo sem açúcar enchem as prateleiras de supermercados e os cardápios de restaurantes, vindo suprir as demandas de um mercado ávido por consumir.

Se você quer saber como largar na frente oferecendo produtos sem lactose e atraindo um público mais exigente para o seu estabelecimento, acompanhe-nos ao longo deste artigo e saiba como seus negócios podem se beneficiar dessa tendência!

Entendendo a intolerância à lactose

Estima-se que cerca de 70% dos brasileiros possuam algum tipo de intolerância à lactose, de acordo com estudo da Universidade Federal de São Paulo. Para essas pessoas, produtos derivados de leite podem causar desde um leve desconforto abdominal, nos casos mais leves, até alergias muito agressivas, em casos de intolerância severa.

Essa alergia deriva da ausência  no organismo de uma enzima chamada lactase. Essa enzima, produzida naturalmente em mamíferos, é a responsável por quebrar as moléculas de lactose (um tipo de açúcar encontrado no leite) em partes menores, para que possam ser absorvidas e utilizadas pelo organismo.

Existem três tipos de intolerância à lactose, cada uma com origem e características distintas.

Intolerância à lactose primária

Esse tipo de intolerância ocorre naturalmente com o avanço da idade. No início da infância, o organismo produz a lactase em grande quantidade, a fim de dar conta de uma dieta exclusiva de leite materno.

Com o tempo, à medida em que se introduzem novos alimentos na dieta, o corpo reduz a produção de lactase e, em alguns casos, pode mesmo haver a interrupção completa da produção da enzima, sobretudo em idades mais avançadas.

Intolerância à lactose secundária

Neste tipo de intolerância à lactose, o intestino delgado deixa de produzir a lactase em decorrência de alguma outra doença, um trauma ou mesmo algum processo cirúrgico. Pessoas com doença celíaca (alergia ou intolerância ao glúten) ou com quadros de gastroenterite costumam desenvolver esse tipo de intolerância à lactose. Normalmente, o quadro de intolerância costuma se atenuar à medida em que se trata a condição original.

Intolerância à lactose congênita

Essa é, talvez, a mais rara das três condições. Nela, a criança já nasce sem a capacidade de produzir lactase, tornando-se intolerante à lactose desde o nascimento.

Trata-se de uma condição congênita, portanto, que pode passar de geração em geração. Para que uma criança nasça com intolerância é preciso que tanto o pai quanto a mãe possuam o gene para a intolerância, mesmo que não apresentem sintomas.

Mitos e verdades sobre os produtos sem lactose

Como acontece com todos os alimentos considerados funcionais ou para dietas restritivas de algum tipo, também os produtos sem lactose estão envoltos em muitos boatos.

Confira abaixo alguns dos mitos e verdades mais difundidos sobre esse tipo de alimento e saiba como esclarecer as dúvidas de seus clientes e também da sua equipe.

Nem todo alimento lácteo contém lactose?

Verdade. Os alimentos à base de leite podem ser produzidos sem lactose, através de processos industriais que retiram a proteína do leite. Embora todos os leites de origem animal apresentem lactose (inclusive o leite materno), ela pode ser retirada no processo de fabricação. É o caso do Pão de Queijo Fit, da Forno de Minas, por exemplo: além de rico em fibras, ele é livre de lactose, podendo ser consumido por qualquer pessoa que tenha esse tipo de intolerância.

Lactose causa alergia respiratória infantil?

Mito. Não existe alergia a lactose. O que existe, porém, é a alergia à proteína do leite. Acontece que, no processo de retirada da lactose, retira-se também a proteína do leite, verdadeira causadora das alergias. Embora estejam associadas, as duas substâncias são diferentes.

Leite de coco ou de soja estão liberados?

Verdade. Por não serem de origem animal, os leites de coco e de soja estão liberados para qualquer tipo de público. Além deles, hoje também é possível encontrar nas prateleiras dos supermercados e lojas especializadas leites produzidos a partir de uma variedade de sementes, como nozes, castanhas e amêndoas, cada um com sabor e propriedades nutritivas diferentes.

Iogurte com baixo teor de lactose é recomendado para intolerantes

Mito. Mesmo com redução de lactose, esses iogurtes ainda são perigosos para quem é intolerante. Como existem diferentes graus de alergia, o ideal é que o consumidor conheça quais os limites do seu organismo. Em casos de intolerância, porém, o mais seguro são os produtos zero lactose.

Dietas sem lactose precisam ser suplementadas

Verdade. Ao menos em parte. Pelo menos foi o que descobriram pesquisadores da Universidade do Tennessee, nos Estados Unidos. Todos sabemos que o cálcio é fundamental para a manutenção dos ossos e do peso do corpo no geral, bem como para o controle da pressão arterial.

Entretanto, o que a pesquisa mostrou foi que alimentos sem lactose também ficam pobres em cálcio, razão pela qual quem adere a essa dieta precisa complementar seu consumo de cálcio. Boas alternativas são leite e iogurte de soja, além de alguns vegetais, como brócolis e espinafre. 

Diferenciação no mercado

Como já comentamos, estima-se que cerca de 70% da população brasileira apresente algum grau de intolerância à lactose. Se o seu estabelecimento ainda não oferece produtos voltados para esse público, está deixando de lado uma fatia grande do mercado.

Você pode até mesmo dizer que seu negócio existe há alguns anos e nunca precisou oferecer produtos sem lactose para conquistar seu lugar no mercado, mas a verdade é que os consumidores estão cada vez mais atentos àquilo que consomem, e a preocupação com a saúde tem orientado as pessoas em suas escolhas cada vez mais.

Além disso, o simples fato de ter essas opções em seu cardápio transmite uma imagem positiva da sua marca, mostrando para o público em geral que você se preocupa com o bem-estar de pessoas com restrições alimentares, independentemente de quem sejam.

Como você pode ver, os produtos sem lactose chegaram para ficar, e qualquer negócio de alimentos que ainda não tenha opções para esse público com certeza está perdendo clientes para a concorrência.

Se você quer saber como impulsionar seu negócio de alimentação, oferecendo produtos de qualidade diferenciada e adotando as melhores estratégias para atrair e reter clientes, não deixe de assinar nossa newsletter! Assim você recebe diretamente em sua caixa de e-mail conteúdos exclusivos, pensados para levar seu negócio ao próximo estágio do sucesso!

Escreva um comentário

Share This